segunda-feira, 22 de julho de 2019

CÍRIO DE NAZARÉ DE CAPISTRANO 2019


Tem início dia 29 de agosto e termina dia 8 de setembro, o CÍRIO DE NAZARÉ DE CAPISTRANO, festa da padroeira, NOSSA SENHORA DE NAZARÉ.Programação nas redes sociais da paróquia.

CORDEL DA ARARUTA



Autor: Francisco Artur Pinheiro Alves
Literatura de Cordel





Peço a Deus inspiração
Para este verso escrever
Tratando da ARARUTA
Para você entender
A riqueza desta planta
Depois de a conhecer

Araruta é um tubérculo
Como se fosse batata
            Da família do gengibe
Nasce no limpo e na mata
Dela se faz a farinha
Na proporção exata

Os índios já consumiam
Araruta com frequência
Extraiam e pisavam
E com muita competência
Tiravam dela a goma
Eles tinham a ciência

Aru-aru ou aru
Os índios assim a chamavam
E os portugueses então
Desse nome não gostavam
Passaram a chamar araruta
E dela se alimentavam

Os indios utilizavam
Na sua  alimentação
Araruta normalmemte
Pois havia plantação
Em todo e qualquer lugar
Litoral, serra e sertão

Foi deles que o sertanejo
Herdou esta  cultura
De consumir araruta
Com toda desenvoltura
Um alimento saudável
Para toda criatura

Como se faz araruta
Agora eu vou dizer
Arranca-se as batatas
E depois de escolher
As de melhor qualidade
Para pra boa massa prover

Selecionadas as batatas
Agora vai-se esmagar
Em um liquidificador
Também pode utilizar
Uma boa forrageira
Para nela triturar

Sendo grande produção
Devemos recomendar
Uma casa de farinha
Para melhor triturar
Usando o catitu
A goma vai apurar

Depois de ser triturada
Você então vai lavar
Com um pano de algodão
Para a goma retirar
A goma fica no fundo
Pois ela vai decantar

Então a goma está feita
Agora é só derramar
A água separou da goma
Após ela decantar
Você derrama a água
E a goma vai retirar

Após este processo
Põe a goma pra secar
Passa.em uma.peneira
Para ela afinar
Continua a secagem
Está pronta pra embalar

Araruta é uma goma
De.excelente qualidade
Pode ser.consumida
Por todos, na verdade
Ela não contém glútem
Esta é a grande novidade

Os celíacos não.podem
O que tiver glúter comer
A araruta portanto
Vai esta lacuna prover
Por não conter o tal glútem
Comsumí-la, vão poder

Mas qualquer uma pessoa
Na dieta regular
Pode comer araruta
Vai bem.se alimentar
Pois araruta é saudável
Você pode experimentar

Onde.encontrar araruta
Agora eu vou dizer
É na CARQUEIJA DOS ALVES
Onde eu tenho o prazer
De plantar araruta
Para lhe oferecer

Use nosso whatsapp
E faça uma ligação
Mande mensagem de texto
Áudio ou gravação
De um vídeo pedindo
Veremos com atenção

Esta era a mensagem
Que gostaria de dar
Leiam mais sobre araruta
Vou agora indicar
O site da EMBRAPA
Para você pesquisar

Lá existe uma cartlha
Com toda informação
Tem tudo sobre araruta
É uma boa opção
Tire alí as suas dúvidads
É a nossa sugestão.

Agora fico esperando
É a sua ligação
Peça ainda  hoje mesmo
Não tenha acanhação
Em baixo eu deixo o número
Pois não tem rima pra ele não

Praia da Tabuba - Caucaia CE – julho de 2019

Nossos contatos:
085 98853 0277 (fone e ZAP)


Apoio cultural
Pólo INSTITUTO CALUMBI DE EDUCAÇÃO E CULTURA
Cursos de Graduação e Pós Graduação EAD (Cursos totalmente à distância)
Colégio São José – Maranguape – CE
85 988530277

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA  PROFA. LOURDENISE PINHEIRO ALVES
ECOMUSEU RURAL RAIMUNDO ALVES DA SILVA
Carqeuija dos Alves – Capistrano CE




sábado, 20 de julho de 2019

HISTÓRIA DA CAPELA DE SÃO JOÃO BATISTA E CAMPANHA DO MOSAICO



Carqueija – Capistrano, 1933 a 2019
Francisco Artur Pinheiro Alves
Capistrano – Junho de 2019

Peço a Deus inspiração
À Virgem Maria, também
E a São João Batista
Aos santos de Deus, amém
Para contar a história
E resgatar a memória
De uma capela do bem

A Capela de São João
Pedro Alves construiu
Com a sua Raquel Alves
Depois que a doença sumiu
De Pedro seu esposo
E com a saúde em gozo
A capela erigiu

Era o ano trinta e três
Do outro séc. passado
Pedro Alves e Raquel
Após o milagre alcançado
Construiu uma capela
A São João dedicou ela
Ficou isso acordado

Segundo o Pedro Jorge[1]
O nome que foi registrado
No livro da Diocese
Às capelas dedicado
Foi ORATÓRIO DO SACO
Ainda bem que foi mudado

A capelinha é famosa
Tem história a contar
Eram poucas as capelas
Que existiam no lugar
O povo da região
Vinha com satisfação
Para a igreja rezar

Foram muitos os serviços
Dedicados ao sacramentos
De primeira comunhão
Batizados, casamentos
Que a capela acolheu
E o povo recebeu
Seguindo os mandamentos
Dom Antônio Lustosa
Bispo de reputação
À capela visitou
Com muita satisfação
Em duas ocasiões
Houve grandes emoções
Na sua recepção

Padres que foram bispos
Depois dela visitar
Dois aqui neste verso
Queremos pois registrar
Os padres: Vicente e Terceiro
Este último foi o primeiro
A bispo se consagrar

Dom Terceiro foi bispo
Por todos respeitado
Dom Vicente também
Para Crato indicado
Três bispos lá passaram
Suas bênçãos deixaram
Isso está registrado

Muitos padres da paróquia
E convidados também
Celebraram muitas missas
Registrar isso convém
A capela recebia
Todos com alegria
Prática que ainda mantém

Dentre os padres celebrantes
Vou aqui registrar
O Padre Oscar Peixoto
Que sabia bem tocar
Depois da Santa missa
Tocava para animar

Padres Pedro e Joaquim
Também nela celebraram
Usavam um chapéu preto
E a todos abençoaram
Ver o padre era uma festa
Todo respeito atesta
Estes fatos nos marcaram

Padre Paulo também
Veio nela celebrar
Muitos jovens puderam
Pela primeira vez comungar
Preparados com expertise
Pela dona Lourdenise
Professora do lugar

Registro com alegria
E muita satisfação
A presença de um padre
Que marcou uma geração
Foi Bernado Bourassa
Muito amigo do Sassá
Grande foi sua missão

A todos Pedro recebia
Com muita satisfação
Dava-lhes hospedagem
E dedicava atenção
Conversando sobre a vida
Era uma boa acolhida
Era essa sua missão

Quando o casal ficou velho
E depois de falecer
Assumiu a liderança
Com orgulho e prazer
A tia Maria do Céu
Sempre sabendo fazer

Tia Céu quando jovem
Era muito destemida
Cavalgava pelas estradas
Com destreza percebida
O santo terço rezava
E as novenas tirava
Na data estabelecida

Depois da tia Céu
Assumiu a liderança
O meu irmão Pedro Jorge
Que com muita confiança
E o apoio da esposa
Formou uma aliança

Tem cuidado da capela
Com muita dedicação
Faz pinturas e reformas
Nas festas, decoração
Apoia a comunidade
Dos velhos à mocidade
Garante a situação

Voltando a registrar padres
Que passaram por lá
Nestes últimos anos
Faz bem aqui registrar
Padre Eudásio, o pastor
Que por todos tinha amor
Saudade nos faz lembrar

Nas festas do padroeiro
Sabia bem conquistar
Cada um dos presentes
Pois ia cumprimentar
A cada um abraçando
Sorrindo não reclamando
Para todos alegrar

Oitenta e seis anos
A capela completou
Neste ano 19
Seu papel consagrou
Na história e pastoral
Do rebanho celestial
Que Jesus lhe revelou

Que Deus abençoe a todos
Que muito contribuíram
Com a história da capela
Foram muitos que assumiram
A missão de evangelizar
E a Boa Nova levar
Sua missão cumpriram

A Messe é muito grande
São poucos trabalhadores
Esperamos que a capela
Tenha sempre pastores
Fiéis à causa do bem
É isso que nos convém
De Jesus os seguidores

Vamos seguir Jesus
Como João Batista fez
Venha para nossa capela
Agora é a sua vez
Vamos juntos celebrar
Mais uma festa e alegrar
Sejamos sempre cortês

Traga um convidado
Faça sua doação
Venha rezar conosco
Nesta festa de São João
Nada temos a temer
Jesus vai nos proteger
Mais uma celebração

Começa dia 14
Com a grande abertura
A cada dia haverá
Rezas cantos e leitura
Da palavra do Senhor
Que é nosso Salvador
E por todos tem ternura

Virão muitos convidados
Da Carqueija ao São Vicente
De Capistrano e Fortaleza
Do Pesqueiro e do Tenente
Enfim de todo lugar
Gente daqui e d’acolá
Vai ser muito comovente

Paralelo à festa
Também vai acontecer
Uma grande exposição
Sobre cordel pra, valer
No Ecomuseu, um parceiro[2]
Que luta o tempo inteiro
Pra festa fortalecer

O Ecomuseu preparou
Um pequeno acampamento
De antigos escoteiros
Que irão por um momento
Da festa participar
E também colaborar
Com o seu conhecimento

Viva a São João Batista
De Jesus o precursor
Viva a sua capela
E a todos que abençoou
Viva o papa Francisco
Viva a Deus nosso Senhor

Escrevi estes versos
Não disse tudo não
Ainda faltou muita coisa
Fica pra outra ocasião
Trouxe um pouco da história
Que está na memória
De nossa população

Por último lanço um apelo
A toda população
Para colaborar com a reforma
E a colocação
Dos mosaicos da capela
Fazendo uma doação.

CAMPANHA DO MOSAICO E REFORMA DA CAPELA
Colabore com a colocação do MOSAICO original e REFORMA  DE  MANUTENÇÃO da Capela de São João Batista, comprando dois cordéis impressos no valor de  R$ 10,00. Deposite os valores  na seguinte conta poupança:
Banco: CAIXA ECONÔMICA
AGENCIA 1276 OP 013 CONTA 7128-1 (poupança)
Francisco Artur Pinheiro Alves
Após o depósito me comunique pelo ZAP 85 98853 0277

APOIO CULTURAL
Este cordel teve o apoio das seguintes instituições:
INSTITUTO CALUMBI DE EDUCAÇÃO E CULTURA – Maranguape-CE
ECOMUSEU RAIMUNDO ALVES DA SILVA – Carqueija dos Alves – Capistrano - CE
BIBLIOTECA PROFA. LOURDENISE PINHEIRO ALVES – Carqueija dos Alves – Capistrano – CE

CORDEL IMPRESSO
Quem desejar comprar o cordel impresso, ligue para 85 98853 0277 Preço: R$ 5,00. Mande endereço que enviamos pelos Correios para todo Brasil. O lucro da venda é para a reforma da Capela.


[1] Prof. Pedro Jorge, atual proprietário do local e neto de Pedro Alves da Silva.

[2] Ecomuseu Rural Raimundo Alves, em frente a capela.de São João batista.

sábado, 8 de dezembro de 2018

COLABORE COM A COBERTURA DO TEATRO CAPELA DE TAIPA DA CARQUEIJA DOS ALVES

Estamos em uma fase decisiva do TEATRO CAPELA DE TAIPA na Carqueija dos Alves, em Capistrano. Vamos necessitar agora do material para a cobertura, pois depois da cobertura é que vem a TAIPA, ou seja o barro.
Para a cobertura nosso cálculo é que necessitemos aproximadamente, de:
75m de lina de 4 X 2
360m de caibros
360m de ripas
Este cálculo é aproximado, não consultei um mestre ainda, mas é próximo disso.
Detalhe, agora vamos necessitar, para a cobertura, de material novo ou usado, mas em bom estado, pois é para cobertura. Continuamos colhendo material de rua e de doações.
Já temos a telha, todas foram doadas e retiradas de descarte que as pessoas fazem na rua.
Quem desejar nos ajudar com alguma doação de material ou de dinheiro para aquisição do material ou para as despesas com mão de obra, estamos aceitando doações. O orçamento ainda não fiz, mas será um pouco alto, visto que madeira é caro.

PROJETO TEATRO/CAPELA ECUMÊNICA DE TAIPA DA CARQUEIJA/CAPISTRANO-CE




“Eu não estou interessado em nenhuma teoria” (Belchior)

Introdução
O Instituto Calumbi de Educação e Cultura, com sede em Maranguape, desenvolve uma ação sociocultural em Capistrano, a saber: Apoio ao ECOMUSEU RURAL RAIMUNDO ALVES DA SILVA E BIBLIOTECA PROFA. LOUREDENISE PINHEIO ALVES, na localidade Carqueija dos Alves, naquele município.
Com esta experiência exitosa, se lança a outro desafio, qual seja, o de construir, com apoio da comunidade e de colaboradores externos, usando essencialmente materiais descartados de reformas de construções, uma CAPELA/TEATRO de TAIPA em Carqueija, agregando-o aos projetos já existentes, acima discriminados.


Objetivo:
O objeto do projeto é a construção, através de doações e com mão de obra remunerada e de voluntários, do TEATRO/CAPELA DE TAIPA DA CARQUEIJA/CAPISTRANO-CE

Objetivos específicos:
Aprender e ensinar a construção de taipa, usada pelos nossos antepassados e desconhecida pela juventude da comunidade;
Incentivar a cultura local, disponibilizando um espaço próprio para manifestações cênicas e culturais;
Contribuir com o diálogo religioso e o ecumenismo entre os participantes das diversas manifestações religiosas, possibilitando a convivência de dos mesmos, de forma respeitosa, em um espaço comum para todos, rem as regras dogmáticas de cada credo;
Contribuir, latu sensu, com a cultura, na localidade.


Justificativa:
Necessidade de um espaço dedicado à cultura na localidade, haja vista não existir, com estas características e perfil.

Por que teatro:
TEATRO, por pretender ser um espaço, também disponível para manifestações culturais, como é o caso da BRINCADEIRA DO REISADO, que já acontece anualmente no local, através do REISADO DO MESTRE SEBASTIÃO CHICUTE, mas em ceu aberto, sem um espaço apropriado.

Por que capela:
CAPELA ECUMÊNICA, por oferecer a oportunidade da prática do ECUMENINSO, pois a mesma será aberta ao culto de das religiões que os moradores da localidade e adjacências, professam, mas no mesmo lugar, provocando assim um sentimento comunitário e de respeito mútuo entre os credos religiosos.

Por que taipa:
DE TAIPA, para resgatar um tipo de construção do conhecimento das pessoas mais antigas do local, mas e principalmente, por uma opção ecológica, uma vez que pretende-se usar na construção, somente materiais usados, descartados pela popuação, local, das cidades vizinhas, de Maranguape e de Fortaleza, através de uma rede de colaboradores, bem como aqueles catados por este signatário, já a algum tempo.

Materiais:
Os materiais são: LINHAS, CAIBROS, RIPAS, TEHAS, PORTAS, JANELAS, SANITÁRIOS, (todos reutilizados, oriundos dos lixões e de restos de construção doados ao projeto) e barro amassado.

Metodologia:
Usar a metodologia de construção da taipa, também conhecida por pau-a-pique, adaptando-a à realidade e as condições atuais e limitações do projeto, usando linhas caibros e ripas, todas de reciclagem, ao invés de forquilhas, estacas e varas, da mata nativa, como se faz na taipa tradicional.
 Usar ferramentas e instrumentos básicas para escavação e fixação da madeira e telhado, barreamento, usando mão de obra local, remunerada durante a estruturação e voluntária durante o barramento, sob a supervisão do mestre e da obra e coordenador de todas as etapas.

Área:
198m2

Etapas:
Cavação e fincamento das estacas e linhas de sustentação
Emadeiramento vertical com caibros
Emadeiramento horizontal com ripas
Emadeiramento da cobertura
Barramento
Colocação de portas e janelas
Reboco
Pintura

Cronograma de execução:
Maio de 2018 a abril de 2022

Observação:
Este projeto básico pode e deve sofrer modificações e adaptações, de acordo com o seu desenvolvimento e execução.

Coordenação geral:

Prof. Dr. Francisco Artur Pinheiro Alves
Presidente do Instituto Calumbi
Coordenador e mestre de obra do Projeto



domingo, 4 de novembro de 2018

MINE TEATRO E CAPELA ECUMÊNICA DE TAIPA DA CARQUEIJA DOS ALVES

Este ano de 2018, alí pelo mês de julho, iniciamos uma empreitada que se constituiu em um grande desafio, trata-se da construção de um MINE TEATRO E CAPELA ECUMÊNICA DE TAIPA DA CARQUEIJA DOS ALVES.
Tudo é novidade nesse projeto. O fato de ser mine teatro e também ser capela; o fato de a capela ser ecumênica; o tipo de construção ser de taipa e por fim o material ser de reuso.
REPRODUZO O TEXTO ORIGINAL PUBLICADO NO BLOG DO INSTITUTO CALUMBI, ONDE DESCREVEMOS O PROJETO:
MOVIMENTO PRÓ CONSTRUÇÃO DO TEATRO-CAPELA DE TAIPA - DOS SANTOS REIS - CARQUEIJA DOS ALVES - CAPISTRANO-CE
O INSTITUTO CALUMBI, sob a nossa coordenação, está iniciando um movimento em prol da construção de um TEATRO-CAPELA de taipa, no entorno do ECOMUSEU RURAL RAIMUNDO ALVES DA SILVA e da BIBLIOTECA PROFA. LOURDENISE PINHEIRO ALVES, na localidade de Carqueija, no município de Capistrano, onde desenvolve suas ações sócio-culturais. O TEATRO CAPELA, receberá terá como patrono OS REIS MAGOS, uma vez que há cerca de 12 anos, sempre foi apresentado no local, o REISADO DO MESTRE SEBASTIÃO CHICUTE, no período natalino. Com a construção do TEATRO CAPELA, será possível: apresentar as atividades culturais do REISADO e de outra natureza dramática e ao mesmo tempo celebrar a festa religiosa dos SANTOS REIS. Outro aspecto interessante neste movimento, é que enquanto CAPELA, a mesma terá um caráter ecumênico, uma vez que poderá receber atividades pastorais e religiosas de qualquer religião, desde que haja respeito entre as mesmas. Ou seja, não se admitirá nenhuma forma de desrespeito, DISCRIMINAÇÃO, por nenhuma das que requisitarem o equipamento para realizarem suas missões, mesmo colaborando com a taxa de uso do equipamento. O teatro capela servirá para encontros e confraternizações da comunidade e do seu entorno, funcionando como auditório pra este tipo de reunião. A construção do TEATRO CAPELA será em forma de mutirão e com MATERIAIS RECICLÁVEIS: Madeira, telhas, portas, janelas, sanitários, etc. Tudo será recolhido em forma de doação ou da rua e dos lixões da capital e da cidade de Capistrano, pois é comum se ver este tipo de material nas ruas, nas calçadas, de forma indevida, até. Deste modo, além de estarmos trazendo de volta uma modalidade de ARQUITETURA tradicional, como é o caso da TAIPA, estamos contribuindo com o meio ambiente e com a EDUCAÇÃO AMBIENTAL de nossa juventude e comunidade. Estas são as premissas básicas deste movimento que se inicia hoje aqui, mas que será desenvolvido ao longo do tempo. Desde já convidamos a todas as pessoas de boa vontade para contribuir com doações, em MATERIAL USADO: LINHAS, CAIBROS, BARROTES, TELHAS, PORTAS E JANELAS, (nos indicando onde recolhê-los) mas também em espécie, haja vista que o Instituto terá despesas com COMBUSTÍVEL, cimento, pregos, mão de obra especializada, dentre outros. Para nos ajudar, inclusive com sugestões, colocamos a disposição nossos fones pessoais e e-mail 85 32327271 - 85 88530277 - artur.calumbi@gmail.com
Publicado originalmente no blog: www.institutocalumb.blogspot.com

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

CARNAÚBA NA ARBORIZAÇÃO DA AVENIDA OSÓRIO DE PAIVA




Francisco Artur Pinheiro Alves (artur.pinheiro@uece.br)

Uma das grandes avenidas de Fortaleza que não foi arborizada no seu todo pela prefeitura, é a Osório de Paiva, que liga Parangaba ao anel viário em Maracanaú, onde nasce a CE 065. A reforma e ampliação daquela importante artéria se deu na administração Juraci Magalhães, que a arborizou apenas até a ponte do Rio Siqueira, dali para frente as árvores que existem são pontuais, fruto da iniciativa individual de algum morador local ou que nasceram espontaneamente.
Face a esta realidade, entendemos que a PMF deveria realizar um projeto de arborização na Osório de Paiva nesta próxima quadra invernosa. Para tanto, sugerimos que seja utilizada a carnaúba, a árvore símbolo do Ceará. Defendemos esta tese por intuição, na verdade não temos conhecimento técnico/científico sobre a matéria, mas as experiências de plantação de carnaúbas adultas tem dado certo em espaços urbanos, como é o caso da avenida Silas  Munguba. Por outro lado a carnaúba, pela sua beleza natural, embeleza a cidade e não ocupa grandes espaços, o que favorece ao consórcio arborização e ciclovia, que é o caso da avenida em pauta. A carnaúba também não atrapalha a iluminação pública já existente na avenida, não trazendo nenhum prejuízo a mesma.
Por outro lado devemos registrar a abundância de exemplares da árvore na região, como é o caso da fazenda da família Johnson, doada à UFC, em Maracanaú, às margens da CE 065. Acredito que uma parceria entre a PMF e a UFC, poderia viabilizar o projeto tornando-o menos oneroso para o contribuinte.
Ao colocarmos este tema em debate, esperamos está contribuindo com o processo de arborização da cidade de Fortaleza, com a valorização da carnaúba que, além de ser uma árvore de valor comercial, pelos produtos que oferece à indústria e ao artesanato, é também excelente no paisagismo urbano de nosso estado. Colocamos o exemplo da Osório de Paiva, mas poderíamos está falando de qualquer avenida de Fortaleza ou de cidade do interior.

Publicado no Jornal O Povo, edição de 26/01/2018. Opinião pg. 25