sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

CARNAÚBA NA ARBORIZAÇÃO DA AVENIDA OSÓRIO DE PAIVA




Francisco Artur Pinheiro Alves (artur.pinheiro@uece.br)

Uma das grandes avenidas de Fortaleza que não foi arborizada no seu todo pela prefeitura, é a Osório de Paiva, que liga Parangaba ao anel viário em Maracanaú, onde nasce a CE 065. A reforma e ampliação daquela importante artéria se deu na administração Juraci Magalhães, que a arborizou apenas até a ponte do Rio Siqueira, dali para frente as árvores que existem são pontuais, fruto da iniciativa individual de algum morador local ou que nasceram espontaneamente.
Face a esta realidade, entendemos que a PMF deveria realizar um projeto de arborização na Osório de Paiva nesta próxima quadra invernosa. Para tanto, sugerimos que seja utilizada a carnaúba, a árvore símbolo do Ceará. Defendemos esta tese por intuição, na verdade não temos conhecimento técnico/científico sobre a matéria, mas as experiências de plantação de carnaúbas adultas tem dado certo em espaços urbanos, como é o caso da avenida Silas  Munguba. Por outro lado a carnaúba, pela sua beleza natural, embeleza a cidade e não ocupa grandes espaços, o que favorece ao consórcio arborização e ciclovia, que é o caso da avenida em pauta. A carnaúba também não atrapalha a iluminação pública já existente na avenida, não trazendo nenhum prejuízo a mesma.
Por outro lado devemos registrar a abundância de exemplares da árvore na região, como é o caso da fazenda da família Johnson, doada à UFC, em Maracanaú, às margens da CE 065. Acredito que uma parceria entre a PMF e a UFC, poderia viabilizar o projeto tornando-o menos oneroso para o contribuinte.
Ao colocarmos este tema em debate, esperamos está contribuindo com o processo de arborização da cidade de Fortaleza, com a valorização da carnaúba que, além de ser uma árvore de valor comercial, pelos produtos que oferece à indústria e ao artesanato, é também excelente no paisagismo urbano de nosso estado. Colocamos o exemplo da Osório de Paiva, mas poderíamos está falando de qualquer avenida de Fortaleza ou de cidade do interior.

Publicado no Jornal O Povo, edição de 26/01/2018. Opinião pg. 25

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

LANÇAMENTO DO LIVRO: SEBASTIÃO CHICUTE, MESTRE DE CORDEL E REISADO

Ontem dia 17 de janeiro, tivemos o prazer de fazer o lançamento do livro: SEBASTIÃO CHICUTE, mestre de cordel e reisado, na Câmara Municipal de Capistrano. O livro é fruto de minha tese de doutorado em Educação, na UNIVERSIDADE AUTÔNOMA DE ASSUNÇÃO UAA em 2012.
A edição foi patrocinada pelo INESP, através de seu presidente GEORGE LOPES VALENTIM, que esteve presente ao evento.
A solenidade foi presidida pelo presidente da Câmara, Vereador Raimundo Nonato Alves Francelino - Namim e teve a participação do presidente do Conselho municipal de Educação, Prof. José Rocha Cavalcante, do Secretário de Comunicação da Prefeitura de Capistrano, representando a prefeita Inês Nascimento, Sr. da viúva de Sebastião Chicute, Luzia Prudêncio, da ex-secretária de educação Edina Cavalcante, da vereadora  Aiana Nascimento de Oliveira, o ex-vereador Domingos Sávio Pinheiro Alves - Sassá, do radialista, poeta e tocador  Toinho da Viola, do Dr. Emanuel Abdalla Pinheiro, do Pof. Elisânio Umbelino, representando o município de Maranguape,  da vereadora de Milhã e filha de Capistrano, Marta Pereira Alves, Alves, além de professores, estudantes, familiares do Mestre Sebastião Chicute e da comunidade em geral.
Na ocasião tive a oportunidade de fazer a apresentação do livro e narrada toda a trajetória da pesquisa, além de mostrar a importância do Mestre Sebastião Chicute para a cultura local e região.
Ao usarem da palavra  os membros da mesa foram unânimes em reconhecer a importância da obra para a cultura e para o município de Capistrano.
Após o uso da palavra pelos convidados, entregamos livros para as autoridades: Prefeita, vice prefeito, todas as escolas municipais, todos os vereadores, ao Conselho Municipal de Educação, presentes e ausentes e aos componentes da mesa.
Os demais livros ficaram uma pare com a família, sob responsabilidade da Sra. Luzia, viúva de Sebastião e uma outra parte que será distribuída a todas as bibliotecas da Universidade Estadual do Ceará – UECE, capital e interior  da qual sou professor, Biblioteca Menezes Pimentel e Biblioteca Dolor Bareira, em Fortaleza. Vale ressaltar que o livro está disponível em PDF, tanto no INESP, no site da Assembleia Legislativa do Ceará, como pode ser adquirido por e-mail enviado a este autor: artur.pineir@uece.br
A sensação que temos com este empreendimento é de dever cumprido. Que o esmo seja lido pelo maior numero de pessoas possíveis e seja subsídio para os pesquisadores da área da cultura popular.
Quero agradecer ao INESP, na pessoa do amigo GERGE VALENTIM, e na pessoa dele agradecer a Assembleia Legislativa e todos do INESP. Também quero agradecer a todos os que contribuíram ara esta obra sair dos arquivos da universidade e ser entregue ao público.
Seguem abaixo, algumas imagens do evento, o convite e uma imagem da comemoração, após o evento













sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

2017 66º ANIVERSÁRIO DE CAPISTRANO

Este ano nossa cidade completa 66 anos, é uma data importante e demonstra a jovialidade de um município que ainda não atingiu um século de existência, como muitos no Brasil.A proposta da REVISTA CAPISTRANO EM FOCO para comemorar o aniversário de Capistrano é homenagearmos, através da lembrança, aquelas pessoas que para nós foram importantes para o nosso município.
Geralmente, quando s e fala em pessoas importantes, vem-nos à mente nossos governantes, nossos representantes políticos, os membros do judiciário do Legislativo e autoridades eclesiásticas. Sem desconhecer o papel destes, a proposta é realçar o trabalho de outros que muitas vezes no seu anonimato, contribuem significativamente para o desenvolvimento, o crescimento, o bem estar das pessoas de nosso município.
Estou falando da professora que alfabetiza nossos filhos, do agricultor que produz em sua roça, do criador que trata com zelo de seu rebanho, do motorista que leva e traz passageiros, dos trabalhadores que sustentam a máquina administrativa, o comércio, a industria, a agropecuária locais, que alavancam o nosso desenvolvimento.
Escreva um comentário ou um texto, uma redação, sobre um destes anônimos que constroem, no dia a dia nosso município e nos envie para publicação aqui neste blog. Se possível, mande uma foto. nosso e-mail é artur.calumbi@gmail.com

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

PADRE MOACIR CORDEIRO LEITE CELEBRA EM CARQUEIJA DIA 22 DE DEZEMBRO

Dia 22 de dezembro próximo, a Capela de São João Batista, na Carqueija dos Alves, estará recebendo, mais uma vez, o padre MOACIR CORDEIRO LEITE, o grande pregador, ex-pároco de Aratuba e Cascavel. Pe Moacir é conhecido no Brasil inteiro, por sua luta em favor dos humildes, enfrentando, inclusive, a ditadura militar. Hoje Pe Moacir está aposentado de suas funções e está residindo na localidade de Jardim, município de Aratuba, onde continua sua missão evangelizadora, sempre em favor dos mais necessitados.

PROF. ARTUR LANÇA LIVRO NA V SEMANA ACADÊMICA DO IDJ, EM PARANGABA

Neste 21 próximo passado o prof. Artur Pinheiro lançou seu livro HISTÓRIA DO CEARÁ EM COREL, publicado pela Editora Bagagem, na sede do IDJ PARANGABA, dentro da programação da V SEMANA ACADÊMICA DO IDJ naquela unidade de ensino. O convite foi da coordenadora da unidade, profa. ROSA.

MESTRE SEBASTIÃO CHICUTE É HOMENAGEADO NA UECE

O mestre da Cultura de Capistrano, Sebastião Alves Lourenço, Sebastião Chicute, foi homenageado por ocasião da I FEIRA DE CORDEL DA UECE, dentro da programação da SEMANA DE HISTÓRIA DA UECE e UFC, NO DIA 21 DESTE.
o EVENTO FOI PROMOVIDO PELA DISCIPLINA AÇÃO EDUCATIVA PATRIMONIAL e pelo LABORATÓRIO DE ENSINO DE HISTÓRIA e teve a curadoria do Prof. Francisco Artur Pinheiro Alves.
Mestre Sebastião Chicute


PROFESSORA LOURDENISE PINHEIRO ALVES RECEBE COMENDA DO IDJ/UVA EM MARANGUAPE



Por ocasião da V SEMANA ACADÊMICA DO IDJ, foram homenageados na unidade de Maranguape, dia 23 deste, as seguintes pessoas: Profa. Edith Nunes Costa, in memoriam, fundadora do Colégio São José, o poeta popular Aluísio Gonçalves da Silva e a profa. LOURDENISE PINHEIRO ALVES.

A comenda é um reconhecimento pela contribuição destes à educação e a cultura.